Fábrica de hemoderivados em Maringá preocupa o MP e o TCU

Sangue

O Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União vai avaliar uma negociação em curso no governo que prevê a construção de uma fábrica de hemoderivados em Maringá, reduto eleitoral do ministro da Saúde, Ricardo Barros, informa Lígia Formenti, de O Estado de S. Paulo. Pela proposta, um consórcio seria formado entre os laboratórios públicos estaduais Butantã (SP), Tecpar, a estatal do sangue Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia e a empresa suíça Octapharma – esta, citada na Operação Máfia dos Vampiros,

acusada de fraude em licitações, e condenada por formação de cartel. A companhia também está envolvida em acusações de corrupção em Portugal, igualmente envolvendo o mercado de hemoderivados.
Unidas, as fábricas abasteceriam o mercado de produtos derivados de sangue do país. Numa segunda etapa, forneceriam para a América Latina. Barros negocia pessoalmente o acordo que, assegura, “resolveria o problema do sangue no Brasil”.
A proposta, no entanto, preocupa o Ministério Público e o TCU. Um pedido formal de esclarecimentos foi encaminhado. “É preciso que ele apresente as justificativas legais, técnicas e sobretudo, quais as vantagens econômicas de um acordo como esse”, disse o procurador junto ao TCU, Marinus Marsico. Leia mais.

Angelo Rigon


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>