Vereador deve fiscalizar mais…

… e legislar com qualidade. Há uma discussão sobre a falta de projetos para inclusão na pauta da sessões da Câmara de Maringá. Penso que o problema não é quantidade é importante ter qualidade e neste sentido entendo que há muito espaços para novas leis municipais, pois a maioria dos temas já são contemplados em leis estaduais e federais.

Mas há N necessidades que vereadores cumpram suas atribuições de fiscalização. Por exemplo, lendo todos os requerimentos, nas sessões e depois as respostas e providências. Analisando todas as licitações, minunciosamente para evitar problemas como os retratados nesta postagem.
Preencher espaços nas sessões, mesmo sem projetos, não é difícil. Se todos os 15 vereadores usarem os 5 minutos no Pequeno Expediente, para falarem de suas ações (não para agredirem cidadãos que eventualmente os critiquem), já serão 75 minutos. Poder-se-ia criar a Tribuna Livre, aberta a cidadãos que tivessem assuntos relevantes, ou para se defenderem de acusações infundadas. Enfim, não precisamos muito mais de leis, precisamos de vereadores atuantes na fiscalização. Neste sentido, falarei em outra postagem de uma iniciativa muito boa, ao que parece, vou confirmar, do vereador Homero Marchese, de fazer um trabalho para revogação de leis municipais inócuas.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon


7 pitacos em “Vereador deve fiscalizar mais…

  1. Concordo Akino, mas porque os vereadores não cobram assuntos de interesse da comunidade. Vou citar apenas alguns: o que deu a “investigação da escuta” no gabinete do prefeito? Quais são os dois vereadores que foram pedir propina na construtora do contorno norte? O que a secretaria de bem estar animal fez até agora pelo bem estar animal? Não estou falando do que vai fazer, mas o que fez… Vejo que ONGs de proteção animal vivem pedindo apoio para a compra de ração. Porque a secretaria não compra? Ou vem falar que precisa de licitação? E isso demora?

  2. Beto Brescansin diz:

    Quando estive vereador entre 2001-2004 tinhamos grande quantidade de projetos autorizativos, que você em nada contribuía com a pauta ou a cidade, pois não eram de competência do legislativo. Eram projetos autorizando o executivo av firmar convênio com no governo o estadual ou federal. Projeto de verdade sempre foram poucos. Acho que as reuniões da CMM deveriam ser uma vez por semana e estreia resolvido o problema.

    • Beto, foi um bom Vereador, faz falta, assim como Humberto, Marly e Dr. Heine Macieira, que apesar de polêmico, era um bom vereador, dentro da sua ideologia. Nereu, John, outros bons vereadores, Um abraço a todos.

      Aproveito para corrigir o texto,

      Penso que o problema não é quantidade é importante ter qualidade e neste sentido entendo que há muito espaços para novas leis municipais, pois a maioria dos temas já são contemplados em leis estaduais e federais.

      correção entendo que não há muito espaço para novas leis.

  3. Nilson Américo diz:

    Em Maringá, foram poucos os exemplos de vereadores que desempenharam um papel fiscalizador consequente. Hoje por exemplo, nota-se que ninguém quer se indispor com a atual administração, deixando de exercer o seu verdadeiro papel.
    Nesses primeiro 115 dias, já dá para enumerar algumas. Não pergunte para mim. Vá atrás, se não conseguir nada, aí sim, estou a disposição.

    INVESTIGADOR NILSON

    LAVA BARRO, JÁ!

  4. Seria interessante algum vereador questionar o porque será nomeada na assessoria de Imprensa da Prefeitura, no lugar de uma profissional da área que foi exonerada, a ex-diretora geral da camara (só servia de cabide, e para servir agua aos edis) ??? Chico Caiana curtiu !!!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>