Vazio há 18 meses, antigo prédio da Setrans vive processo de abandono e degradação

Ex-Setrans

No final do primeiro semestre de 2015, quando Carlos Roberto Pupin (PP) decidiu transferir a sede da Secretaria de Trânsito e Segurança, localizada no antigo Aeroporto Gastão Vidigal (acima) para um barracão na avenida Colombo, alugado por R$ 47 mil da empresa de um amigo e vizinho do então prefeito (abaixo), Maringá começava a assistir um dos ‘erros’ mais sinistros de sua história político-administrativa.

Semob

A prefeitura começou a pagar o aluguel em novembro de 2015

(o valor era para ser de R$ 45 mil, mas houve um aditivo por conta do estacionamento), que soma hoje mais de R$ 750 mil. Para não ter que fazer cotação e outros imóveis, Pupin alegou urgência para ocupação do prédio do antigo aeroporto. A Setrans mudou de sede logo após aquele prédio ter acabado de receber pintura, que custou R$ 80 mil aos cofres públicos.
Quase um ano depois, anunciou-se que o prédio seria ocupado por um projeto chamado Aeroporto Digital. Seria um espaço para reunir empresários, empreendedores individuais, pesquisadores e alunos de graduação interessados no desenvolvimento de projetos inovadores. Eis que agora chega-se à conclusão que o empreendimento não pode ficar lá, tanto que estão em busca de novo endereço.
Ou seja, passados 18 meses o antigo prédio do antigo aeroporto continua ocioso desde que deixou de ser ocupado por uma das secretarias mais importantes da cidade. O local está abandonado, com vidros, portas e janelas quebrados, teve a fiação elétrica furtada, plantas retiradas, além do mato e do processo de degradação geral.
Existe palavra que defina isso tudo, feito com o dinheiro do contribuinte? Não é jogar dinheiro (e parte da história da cidade) no lixo?
Abaixo, fotos do antigo aeroporto feitas no final de semana.

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

Ex-Setrans

O primeiro prédio do aeroporto, ainda em madeira, nasceu da prancha do arquiteto paulista José Augusto Belucci (o mesmo que desenhou a Catedral), na década de 50; o que se deteriora começou a ser construído em 1966, pela Engenhara Planalto, de Curitiba, e foi inaugurado em 1972. O então príncipe Akihito e os ex-presidentes Geisel e João Figueiredo foram algumas das personalidades que vieram a maringá e desceram naquele aeroporto.

Angelo Rigon


23 pitacos em “Vazio há 18 meses, antigo prédio da Setrans vive processo de abandono e degradação

  1. Com a palavra, a atual administração que se diz competente e honesta. é Só limpar o fiofó com esse contrato e voltar pro mesmo lugar que é muito melhor e mais espaço, e manda os amigos do Pupim cobrar a conta na pqP.

  2. Verdade seja dita: em um país sério, como exemplo de conduta a cada brasileiro, um administrador público como o infeliz que recém saiu, deixando um mar de irregularidades e promessas que serviram apenas para sua eleição, se deslocaria do seu gabinete direto para o banco dos réus e dali, para uma penitenciária, o que já seria um enorme ganho, pois em outras nações talvez seria uma perpétua ou a pena máxima. Quanto mais financeiramente poderosos, mais canalhas. E a nossa nação definhando, célere, rumo à hecatombe, graças a essa raça de inúteis, caríssimos e ineficientes pseudo políticos, vestidos com a manta de zelosos homens públicos. Vergonha nacional.

  3. Cabe uma ação direta contra o antigo gestor, (Pupim) ele é o responsável e deve pagar pelas cagadas, não pode ficar o dito pelo não dito, e deve ressarcir os cofres públicos pelos gastos irregulares, o M.P. vai ter que trazer gente de fora pra dar conta de tantas ações que vão aparecer, improbidade administrativa é pouco para o grande administrador Pupim.

  4. E NÓS (O POVO) CONTINUAMOS A PAGAR SEM FAZER NADA. SÓ LERO LERO. SOMOS TODOS FRACOS. SÓ SABEMOS CONVERSAR. REAGIR QUE É BOM NADA. SE FOSSE EM OUTRO PAÍS ESTARIAM TODOS FRITOS NUMA SÓ FRIGIDEIRA.

  5. Como disse nosso amigo ali em cima: É só voltar pro antigo prédio e economizar 47 mil mensais que pode ser destinado a alguma coisa que beneficiará diretamente a população. Até hoje nao consigo entender como um imóvel que custava 5mil mensais num locatario anterior, ser locado por 47mil quando se tratava da prefeitura. Se o Ulisses nao der fim a esse contrato, ficará cada vez mais evidente que tem dedo do Reicardo Barros nessa administração. Não é exagero dizer MAIA/BARROS.

    • Só na tua cabeça que um prédio daquele tamanho estava alugado para a concessionário de veículos por R$ 5.000,00. Se fosse este valor a concessionária não sairia dali para pagar aluguel mais caro (acima dos R$5.000,00) em outro prédio e com espaço menor.
      O aluguel do prédio era de R$ 45.000,00 para a concessionária, tanto que a ação no MP ficou improcedente e foi arquivado.

  6. Com certeza tem que voltar já a Semob para o antigo aeroporto, aquilo parado é um crime e não podemos deixar demolir o único prédio antigo da PMM.

  7. Qual foi o motivo da saida do aeroporto?.Se foi para ajudar um amigo,ele que faça com seu dinheiro, se queria se aparecer conseguio,agora o MP.deveria entrar com tudo,e ver o verdadeiro mitivo,se era presciso ou não .Então ele que prove,caso contrario devolver todo o dinheiro e cana para politico incompetente .

  8. Se houve dolo , tem que pagar pelo fato ! E muito simples está conta: se o antigo locatário pagava R$ 5.000 e depois alugado para Pmm por R$ 47.000 está claro e evidente que houve ma fé por parte do proprietário e por parte do gestor !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>