Até parece outra cidade

Lendo alguns comentários nesta postagem, andando pela cidade, sentindo o ar que se respira desde o dia primeiro deste ano, não seria exagero afirmar que até parece outra cidade.
Um comentário de leitor fazendo uma comparação de Silvio II com Eike Batista (vende sonhos e entrega ilusão), pensei que talvez fosse injusto com o irmão de Ricardo Barros e com Pupin.

Eles foram os instrumentos, mas o verdadeiro mentor de tudo, nos últimos 12 anos foi RB. O Parque do Ingá e só exemplo. O parque industrial, outro. Os mais de 500 CCs, um absurdo que muitos não enxergavam. Quase tudo está diferente. Tenho certeza que ao final dos 04 anos da gestão Ulisses/Scabora, nem os mais amigos sentirão qualquer saudade, pelo contrário, dos Barros/Pupin, no comando da cidade.
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon


19 pitacos em “Até parece outra cidade

  1. nereu vidal cezar diz:

    Akino, voce continua com a caneta afiada. Talvez tenha tido muita coisa errada nos l2 últimos anos da administração, mas entendo que as coisas boas, superaram em muito as coisas ruíns. O volume de recursos que vieram para Maringá, oriundos do estado e da União foram de grande valia para Maringá e região, muitos empregos gerados, novas oportunidades, surgiram novas empresas, acho que estes fatores sao positivo, vem agora o Contorno Sul Metropolitano, que deverá gerar centenas de empregos e por ai vai.

        • Concordo plenamente com meu amigo Nereu, a impressão que querem deixar é que a cidade ficou parada durante 12 anos, absurdo, esse Akino/Rigon se forem realmente honestos, devem deixar a rivalidade para trás, hoje temos mais de 40 escolas construídas e reformadas, abertura de várias avenidas, (itororó, franklin Roosevelt, entorno da Uem, etc, um dos maiores Ideb do país 4ª em saneamento básico, funcionários públicos recebem rigorosamente em dia, finanças sadias, etc, etc, então sejam humildes e valorizem o que de bom foi feito.

          • Rivalidade? A discussão é o custo e o privilégio dado a grupos. Nos últimos anos o que menos importou à turma que esteve no poder foi o coletivo. Privilegiou-se o particular.

      • Se for esquema, a função é fiscalizar e denunciar, mas se não for, será de grande importância para Maringá, vão consultar as pessoas que moram entorno do contorno sul, aquilo é um perigo constante.

  2. Nem tudo melhorou. Em volta da Vila Olímpica cortaram a grama e não recolheram os resíduos. Ao lado do estádio (Av. Duque de Caxias) além dos resíduos de grama, tem muito papelão esparramado. Falta conscientização das pessoas que levam o papelão para as crianças brincarem, mas não recolhem o lixo.

    • Moro ao lado da Vila Olímpica, essa brincadeira com papelão já vem a muitos anos, realmente sempre deixaram um monte de papelão, porém, toda segunda-feira ei via o pessoal da própria secretária tirando os papelões, e agora onde estão os funcionários? quem é o responsável? gerente, diretor, secretário, quem?

      • O responsável por recolher o papelão é o próprio cidadão que dele faz uso.
        Quem suja, deve recolher a própria sujeira,
        Tanto na Vila Olímpica, quanto em qualquer espaço público, incumbe ao cidadão manter a via pública em perfeitas condições, incluindo a limpeza do local.
        Não se deve transferir ao poder público o que é de responsabilidade do cidadão (educação e respeito pela coisa pública).

    • Isso depende da EDUCAÇÃO das pessoas, portanto, não deveriam sujar um espaço público.
      Ademais, não seria necessário dispender de recursos públicos para manter limpo, um espaço que é de todos, e que incumbe ao cidadão mantê-lo limpo.

  3. A cidade não é só maquiagem, precisamos de melhor funcionamento da maquina publica agilizando todos os setores no que diz respeito a novas industrias, incentivo ao comércio, construção civil ( agilizando os tramites para liberar habite-se), obras nos bairros etc etc

    • Infiltrado...kkkkkk diz:

      A Secretaria de Planejamento, que deveria estar trabalhando resolveu ferrar com o Sinduscon….não aprova mais nada….e agora tem uns 500 projetos emperrados, por falta de análise. Os funcionários não estão nem aí…e o desemprego vai pra conta do Prefeito que gosta de inaugurar portão….kkkkkkk…eu só observo (de dentro) e me divirto…E tomo cafézinho…. eu não tenho construtora e nem sou prefeito…só entrei por diversão…

  4. Não mudou nada!
    Os esquemas ainda são os mesmos só trocou de dono!
    Na saúde continua com esquema do Nardi ainda na prefeitura ainda tem empresa de gente envolvida com corrupção que estava na cadeia até esses dias!
    Tiro umas árvores pintou meio fio pq corta o mato ainda nao! E abriu o portão do parque do ingá!!
    Quero ver fazer a limpa na prefeitura como prometeu!
    É o lixo! Ainda o mesmo esquema que bateram tanto! O prefeito prepotente nao atende ninguém!
    Só joga pro tal do trevisam!!
    Aliais tem prefeito essa cidade??
    Ou só e propaganda!
    Pra mim e pra muita gente nada mudou e nem vai mudar!

  5. VC DEVERIA PARAR DE VENDER SONHOS ACORDE CARA CHEGOU ANTEN E UM FASTAMA E QUE FALAR O QUE VAI SE ATUALIZAR NAO FIQUE BABANDO NAO COMECE A FAZER VISITAS EM SECRETARIAS SE INFORME ANTES DE BABAR

  6. Como tem viúva resmungando por aqui… O tombo foi grande, e parece que Ulisses está levando o mandato a sério. E fazendo uma boa administração, as viúvas vão continuar se lamentando por muito tempo.

  7. CONCORDO COM O AKINO: PARECE OUTRA CIDADE. (que alívio)
    Parece que, finalmente, acordei de um pesadelo, árduos 12 anos.
    Não sentirei nenhum pingo de saudade dos Barros, tão pouco do gestor-Pupin.
    Embora muita coisa não seja perceptível a todos no momento.
    Mas acredito que num futuro, quiçá não muito distante, muito ainda será descoberto acerca desta gestão de 12 anos, quando finalmente veremos, em concreto, a herança que dela herdamos, talvez não tão preciosa como se defende.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>