O tamanho da ilegalidade

Área de descarte

A foto acima dá uma dimensão do tamanho da área em que estavam, pelo menos até ontem, cometendo um crime ambiental em Maringá. Caminhões de empreiteiras vinham descartando terra e entulhos de construção civil num terreno que pertence à prefeitura municipal.
Nas proximidades acontecem as obras milionárias das avenidas Morangueira e Kakogawa.


A prefeitura – onde, acredite, tem uma Secretaria de Meio Ambiente – não demonstrou interesse em apurar e punir responsabilidades. Da mesma forma, nenhuma outra autoridade ambiental da cidade, inclusive o Ministério Público.
Deveria se exigir inclusive a retirada do material, que deve ser descartado em local licenciado. Mas quem o leitor acha que vai pedir isso, em final de mandato e com este clima natalino na administração pública?
A atual administração, aliás, é especialista no assunto. Três anos atrás a própria Semusp determinou que se jogasse lixo de todos os tipos num lixão irregular, sem licenciamento, no Colina Verde. Nenhum tipo de providência foi tomado, ninguém foi punido. Abaixo, o vídeo em que este blog flagrou os caminhões da própria prefeitura fazendo o descarte ilegal:

Angelo Rigon


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>