Derrubada de mata nativa: juiz nega liminar para paralisar obras

bosque 2
A Prefeitura de Maringá informou hoje à tarde que o juiz substituto Loril Leocádio Bueno Júnior, da 1ª Vara da Fazenda Pública, negou liminar solicitada pelo Ministério Público pedindo a paralisação das obras de duplicação da avenida Joaquim Duarte Moleirinho, em ação civil pública por ato de improbidade administrativa ambiental contra o prefeito Carlos Roberto Pupin (PP) e o chefe regional do IAP, Paulino Mexia. As obras beneficiam empreendimento de Ricardo Barros, que coordenou a campanha do atual prefeito. Uma lei municipal de 1982, do ex-prefeito João Paulino Vieira Filho, tornou o local intocável, proibindo terminantemente a supressão parcial ou total da fauna e flora do Bosque Dois. O juiz, no entanto, avalia que a derrubada de parte da Mata Atlântica é a melhor alternativa para atender o crescimento da demanda de veículos; além dos carros, levou em consideração a valorização imobiliária do bairro. O juiz considerou o número de árvores derrubadas (41) “ínfimo” se considerada toda a área do bosque, um dos pulmões verdes traçados no planejamento da cidade. Três promotores assinam a ação civil pública por improbidade. A derrubada ilegal ocorreu próximo ao Dia do Meio Ambiente; dois meses antes, o MP havia recomendado a manutenção das árvores. A negativa da liminar pode abrir um precedente e permitir que outras leis municipais sejam simplesmente ignoradas pelos governantes de plantão. O traçado da avenida Gurucaia, há alguns anos, foi alterado para preservar uma única árvore.

Angelo Rigon


20 pitacos em “Derrubada de mata nativa: juiz nega liminar para paralisar obras

  1. Quando João Paulino publicou a lei, jamais sonharia que o Lula (pt) iria beneficiar as montadoras de carros com isenção de ipi, que daria tantos subsidios aos bancos..e que o trânsito de Maringa se tornaria o caos que é hoje. É o pogresso mossada…..que tal aprendermos a votar?

  2. E desde quando um Juiz pode ir contra uma Lei? Por essas, e por outras, é que alguns fazem a população não acreditar no Judiciário Brasileiro…Alguém aí pode me explicar como acionar o Conselho Nacional de Justiça??????

  3. que pelo menos replante em outro lugar que seja preservado .pelo menos isso,,,porque esse alargamento da via ajudou aos motoristas mas muito mais a escola da filha do ricardo que sera construida a frente

  4. Marcos Vinicius diz:

    O juiz fundamentou muito bem a decisão. Em 1982 a cidade não contava com o número de carros e habitantes de hoje. Além disso, o trecho é muito utilizado, sendo uma das principais vias aos bairros da região e à avenida Nildo Ribeiro. Quem anda por ali percebe que a via única não condiz com o volume de carros que trafega na avenida. Além disso a região está próxima do bosque e ainda possui grande número de árvores. Destaco ainda que o IAP é órgão de proteção ambiental e que nem toda autorização para derrubada atenta contra o meio ambiente. De qualquer forma a medida beneficia quem mora por ali, que é quem sabe mesmo o que é melhor pra região. O MP defende o meio ambiente, o juiz usa da equidade para preservar os interesses da população, que se sobrepõe, NO CASO, à demanda do MP. Acho tambem que uma lei que trata de planejamento urbanístico e ambiental por 32 anos precisa de atualização, visto que em 1982 a cidade tinha apenas 170.000 habitantes. Por fim, destaco a existência de parecer ambiental que autoriza a medida, e que a autorização, correta ou não, não foi ilegal, visto que dentro da competência do IAP. O artigo é extremamente tendencioso, como sempre.

  5. meus amigos. qualquer lei pode ser revogada. ou não?. se cai arvore prefeitura paga. se corta árvore prefeitura é culpada. se a saúde vai mal prefeitura é culpada. como fazer com o progresso da cidade? por favor gente. vamos ajudar um pouco. ao invés de criticar porque não fazem uma campanha para colocar no poder pessoas que vcs acham capazes. chega na hora de votar votamos tudo errado. os culpados somos nós. as eleições estão aí, para presidente, governador , senador e deputados. é só saber escolher. depois de eleitos são todos iguais. o dificil é chegar no poder.

  6. Maria Regina Crachineski diz:

    Tanta polêmica por causa de 41 árvores. Pelo que li, serão replantadas 400 novas mudas, para compensar o corte. Temos que avaliar o benefício para os moradores dos bairros que utilizam a via até 4 vezes ao dia. Quando foi feita a ampliação da Avenida Cerro Azul ligando a Avenida Carmem Miranda, com certeza também sacrificaram árvores, pois se trata de um fundo de vale. Quando passo por ali, percebo o quando foi valorizada a região e o quanto melhorou a mobilidade urbana daqueles moradores. Nos anos 70, quando fizeram a duplicação da Avenida Euclides da Cunha, ligando a Zona 04 com a Zona 02, no Bosque 2, com certeza também cortaram árvores. Não consigo imaginar como seria hoje, contornar todo o Bosque 2, para transitar de um lugar para outro. Acho que críticas são construtivas, mas neste caso da Avenida Joaquim Duarte Moleirinho, penso que é apenas implicância . É indiscutível a necessidade da duplicação da via. Não entendo de leis, mas acho impossível que o Juiz tenha se equivocado.

    Maria Regina Crachineski

    • Concordo plenamente, pois a região e densamente povoada e a via, ora em construção, vai beneficiar, de imediato, milhares de pessoas que a utiliza todos os dias.
      O juíz decidiu com sensatez e sabedoria, pois se hoje a obra é necessáriA, imaginem daqui a vinte anos.
      Porém há os encrenqueiros que sempre procuram criar casos sem analisar que a cidade cresce e, seus habitantes necessitam de mobilidade para ao trabalho com rapidez e conforto.

    • Concordo plenamente com a Sra. Maria Regina e Sr aristides ! Parabéns pelo posicionamento serio, postura adequada, e ainda pelas considerações! Penso que todas as mudanças causam estranhesas, mas depois vemos os grandes benefícios! Parabéns pela seriedade da abordagem!

  7. O incrivel que para decdecidir pontos polemicos, ~soa saempre escalados juises substitutos. Como foi o caso da TCCC na epoca do PT, que escalaram como substituto o Senhor Rene Pereira da Costa, que beneficiou a empresa. x?
    E neste caso?

  8. Se o Juiz fosse informado que tinha uma alternativa, talvez mudasse de ideia. Bastava desapropriar uma pequena faixa em duas chácaras em frente, e não havia necessidade de derrubar nenhuma árvore. Pelo Geomapa (portal geomaringa) da Prefeitura dá para visualizar que o traçado da Av. Nóbrega indica essa possibilidade.

  9. Ja fui eleitor do ricardo no primeiro mandato a prefeito, na ultima eleição votei no enio, por ter tido apoio do edmar, não voto mais nele tambem.Mas, você esquece de mencionar que, do outro lado do “corgo” tem um empreendimento do deputado, la na chacara patamar….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>