Ainda bem que tragédia ficou só no placar

mga2Perdemos para o Londrina dentro e for a do campo. O torcedor que foi ao estádio neste domingo – e milhares deles entraram pela primeira vez ali nesta temporada – ficou indignado com a forma desumana com que foi tratado. Surpreende como os órgãos supostamente de segurança permitem tamanha desorganização, com riscos evidentes de uma tragédia. O acesso à área coberta do estádio retrata com precisão como a cidade está despreparada para organizar grandes eventos. Não se organizaram filas e o que se viu foi uma massa de gente se espremendo na base da escada, subindo com extrema dificuldade e depois se empurrando num estreito corredor. Na porta do estádio, dezenas de agentes da Guarda Municipal andavam de um lado para o outro, sem objetivo específico. Fiscais da prefeitura em dupla ou trio perseguiam ambulantes. Ninguém se preocupou em organizar o acesso, de forma a minimizar os riscos de acidentes – e até de uma tragédia!

O torcedor? Bem, este era coadjuvante, mero detalhe num espetáculo feito para render dinheiro e expor incompetências. A consequência de toda essa irresponsabilidade ganhou contornos ainda mais preocupantes dentro do estádio, local que freqüento há décadas e posso sustentar, ainda que de forma empírica, que havia mais de 25 mil torcedores – ouso até em falar em 30 mil pessoas. Ministério Público, Polícia Militar, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, diretoria do Maringá Futebol Clube, prefeito… A quem se pode reclamar agora, depois do evento terminado e, para felicidade de todos, de forma trágica apenas no placar? Venderam muito mais ingresso que o estádio suportava, algo comum já por aqui (na final da Taça Paraná, exatamente contra o Londrina ocorreu mesma coisa). A cumplicidade entre órgãos de segurança que compactuaram com a irresponsabilidade seria digna de uma investigação. Mas por quem? Para finalizar, chamo a atenção do Corpo de Bombeiros, ludibriados pela diretoria do Maringá, que ignorou recomendação sobre a capacidade máxima do estádio, e aceitou a superlotação sem questionar, indiferentes aos riscos de uma aglomeração tão grande. Mas não libera, de jeito nenhum, o alvará do bar do seu Joaquim, por que ele não colocou meia dúzia de unidade de luzes de emergência num puxadinho onde há 30 anos tem uma mesa de sinuca. Pode acabar a luz e as três ou quatro pessoas que costumam ficar ali perderem o rumo e se machucarem. Já no estádio… Bem, lá pode exageros, desrespeito à lei. Em tempo: cheguei no estádio às 14 horas.
Edivaldo Magro

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

26 pitacos em “Ainda bem que tragédia ficou só no placar

  1. E na Expoingá então?

    Barraca Universitária não poderia, já que
    o Luciano Brito tenta surfar na onda de
    Santa Maria.
    Praça de alimentação mais sujo impossível,
    Desrespeito total com o público.

    É uma festinha meio que meia bôca, por que
    Festa de Boiadeiro tem boi, vaca, cavalo, e o
    que se apresenta lá e fraco mesmo.

    Data errada.

  2. PORQUE VOCÊS TAMBÉM NÃO FALA QUE A POLICIA MILITAR ESTAVA LA TAMBÉM …ATE CAVALARIA ACHO QUE E MAIS FÁCIL FALA DA GUARDA NE …ESTÃO COM MEDO POR ACASO

  3. Marcilio Januncio diz:

    È muito engraçado,em Londrina é a coisa mais horrivelonde a torcida adversaria entra,vc passa por um matagal.E no final do jogo nossa torcida foi apedrejada,o ônibus que eu estava foi apedrejado…EU ESTAVA LA,eu posso falar.Aqui não aconteceu nada com eles,nem na chegada e nem na saída,este lado bom ninguém fala.Quanto aos ingressos vendidos,todos sabiam que iria estar lotado.Parabens a todos os envolvidos.

    • Como pode um sujeito dar parabéns a uma desorganização desta, se tivesse acontecido uma tragédia eu queria ver, quem ia parabenizar, felizmente as pessoas que compraram ingressos e não conseguiram adentrar a Estádio de Merda, tiveram o bom senso e retornaram para suas casas ou invês de insistirem em adentrar, agora fica a pergunta quem será o responsável para ressarcir o prejuízo destas pessoas, o MP dúvido, o Procon também duvido, essa pessoas foram vitimas de estelionato aplicado pelo MFC, com a cumplicidade dos poderes constituídos em Maringá, ou seja, um novo golpe na cidade o do ingresso.

        • Acho que com esse nome acho que homem tu é, pois quem compra um ingresso tem seu lugar garantido por lei, vender ingresso além da capacidade do estádio é crime, previsto no código do torcedor.
          Logo quem apoia esse tipo de atitude só pode ser criminoso, ou provinciano que só ao estádio quando tem jogo aqui em Maringá, não conhece outros estádios do País.

  4. Angelo, me desculpe. Acho que voce está totalmente sem noção da qtde de pessoas no estádio. Se teve 17mil foi muito. No primeiro jogo em Londrina o estádio do Café estava quase cheio e praticamente o dobro de pessoas que ontem e ao total tinham 27 mil pessoas. 30 mil pessoas não cabem nem se tivéssemos 2 estádios. AVANTE TUBARÂO!!!!!

  5. Sobre essa situação é a seguinte opnião, em jogos de grandes publicos devem saber: 1º chegar com ampla antecedência ao estadio, 2º no setor da descoberta a entrada foi super tranquila e em suma esses “atrasinhos” que sempre reclamam são torcedores de “SOFÁ” que NUNCA aparecem no estádio e qdo aparecem SÓ SABEM RECLAMAR!!!!
    Da próxima é um favor não irem !!!

  6. Confesso que subi aquelas escadas com muito medo de ser prensado pela multidão eufórica em entrar nas cobertas do estádio e com a experiência de já ter visto o Maringá fazer outras finais também estava otimista com um bom resultado, pois tínhamos tudo para ser campeão. Como foi ótimo ver uma geração de jovens acompanhados de seus pais e com as namoradas torcendo por sua Cidade,fiquei emocionado com a galera cantando com muito amor o nome do Maringá o hino Nacional foi de arrepiar, temos que agradecer aos jogadores que lutaram o campeonato todo mesmo não tendo credito dos torcedores e o patrocinador que acreditou nessa moçada e proporcionou uma bonita festa em todos os jogos fazendo reviver nos jovens o prazer de assistir um jogo de futebol no WD.

  7. Quanto ao público presente, eu já tenho uma certa idade e já vi vários jogos de estádio lotado.
    Grêmio Maringá x Guarani
    Grêmio Maringá x Grêmio de Porto Alegre, por exemplo.
    Nesses dois jogos, salvo engano, o público pagante esteve entre 22 e 23 mil. Lembre-se que naqueles tempos tínhamos a geral Lembre-se também que o Apucarana sempre sumia com muitos ingressos na contagem, segundo a lenda.

    30 mil pessoas não cabem no W.D, a não ser que sejam gaúchos ou São paulinos, que sentam uns nos colos dos outros.
    O público divulgado foi de 18500 pagantes e 500 e poucos não pagantes. Totalizando pouco mais de 19000 pessoas. Acho que tinha isso mais ou menos. Talvez 20000 pessoas.

    É fato que teve gente indo embora sem poder entrar e com ingresso comprado. É fato que assisti o jogo todo em pé, no meio-fio da descoberta, lá em cima e atrás da minha fila ainda tinham mais 3 ou 4 filas. A entrada na descoberta foi tranquila.

    Acho que a polícia militar fez um trabalho excelente. Não tivemos nenhum incidente, e o episódio mais grave ocorreu com um “membro da imprensa”. Poderia ter acontecido uma coisa ruim? Talvez sim.

    Mas ficamos por 12 anos sem ver esse estádio lotado. Foi muito bonito.

    Confesso que preferia estar torcendo pelo Grêmio e não pelo Maringá, que me lembra o Zebrão.
    Mas esteve muito bonito e o Maringá só não foi campeão por capricho do destino. Jogamos melhor as duas partidas e perdemos muitos gols e no futebol não se pode perder chances.

    Parabéns para a moçada do Maringá, parabéns para a torcida e parabéns ao João Curitiba, que conseguiu, junto com técnico e jogadores, levar um time que, falava-se, brigaria para não ser rebaixado, até uma final de campeonato, onde foi melhor que o adversário e só não foi campeão porque não era o dia.

  8. QUANDO E QUE VAO APRESENTAR UM BALANCENTE QUANTO ARRECADOU,QUEM AJUDOU, QUANTO FOI PAGO AOS JOGADORES,QUANTO A FEDERAÇAO LEVOL, QUANTOS INGRESSOS FORAM VENDIDOS NOS ULTIMO JOGOS ENFIM APRESENTAR ALGUMA COISA QUE NOS CONVENÇA

  9. Sinceramente, não entendi porque aconteceu aquele tumulto.
    No jogo contra o Coritiba, o estádio estava praticamente lotado e não deu essa confusão (na área coberta).
    A única conclusão a que chego é a venda superior de ingressos à capacidade.

  10. Cristiano Fernandes diz:

    Acompanho este time desde a terceira divisão, e o gremio desde 83, gente, o Maringaense fez uma festa, era um estádio de futebol e não um culto. A única preocupação minha agora é se iremos ter novas festas, pois muitos só criticam mas na hora de ir em jogos que só tinham 80 torcedores como eu fui na terceirona , aí sim é coisa feia de se ver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>