Riqueza e política

O ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência) disse no velório do governador de Sergipe: “Marcelo Déda nos encantou exatamente por ir além da política, pela capacidade de viver com intensidade a vida. E tem muita paixão por tudo que ele fez e uma coisa fundamental: ele morre pobre, o que é uma grande lição de um novo modo de fazer política.” Na eleição de 2010, a última que disputou, conta Josias de Souza, o petista Déda declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 557,7 mil — atualizado monetariamente, soma hoje algo como R$ 680 mil. Ao render justas homenagens ao amigo morto, Gilbertinho deixou mal, sem perceber, os correligionários muito vivos. Os ex-ministros José Dirceu e Antonio Palocci, por exemplo, fizeram voto de riqueza após deixar o governo.
Pra resumir: fique de olho e sempre desconfie de gente que fica rica depois de entrar na política.

Angelo Rigon


Um pitaco em “Riqueza e política

  1. Esse é o estilo PT de ser, tudo em nome de laranjas. Se morasse em Aracaju ia acompanhar a vida dos cinco filhos desse Deda para ver se eles terão que se virar para sobreviver igual a todo trabalhador, ou são os Dedinhas bom de négócios igual ao Lulinha??

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>