Sobre condições de trabalho

Samu Maringá
Na noite de sábado, uma viatura do Samu ficou emperrada na rua Julio Mesquita, perto da Igreja Nossa Senhora da Liberdade, em Maringá. Como o socorro não viria, tiveram que levar o veículo para o pátio da Secretaria Municipal de Serviços Públicos. “Dava para ouvir o barulho do motor se arrebentando. O cheiro de queimado foi sentido pelas pessoas que estavam dentro de casa”, conta leitor. A propósito de condições de trabalho, no Facebook o pessoal está cobrando o cumprimento dos motivos que levaram à greve há algum tempo, com0 ambulâncias novas, vale alimentação, hora extra e uma base adequada para o Zona Norte.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Um pitaco em “Sobre condições de trabalho

  1. Para multar usam hilux que não quebram. No mínimo o motorista do ambulância não percebeu os sinais que o motor sempre manda. A incompetência hoje vai do goleiro ao ponta esquerda. Falando nisso, o rombo de 4 bilhões nos cofres de um estado que tem uma AL toda comprada, à qual categoria de políticos predadores de biucus compridus? A dos ingênuos ou dos mal intencionados? Talvez à terceia que Yacob atribuiu à Joaquim: Ingênuo e mal intencionado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>