Tribunal de Justiça mantém proibição a pesquisa com cães na UEM

O Tribunal de Justiça do Paraná negou recurso da Universidade Estadual de Maringá e manteve decisão da 5ª Vara Cível da comarca que, em ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público Estadual, determinou a suspensão da utilização de cães da raça beagle e qualquer outro animal em pesquisas do Departamnento de Odontologia, sob pena de multa diária. O relatora foi a desembargadora Maria Aparecida Blanco de Lima e o julgamento aconteceu na última terça-feira. O acórdão ainda não foi publicado. De acordo com os desembargadores da 4ª Câmara Cível, os elementos constantes nos autos não evidenciam o receio de dano irreparável ou de difícil reparação que justifique a revogação da liminar e consideram que é prudente a suspe3nsão das pesquisas com os animais até ulterior deliberação do juízo singular ou trânsito em julgado da ação originária.

Angelo Rigon


7 pitacos em “Tribunal de Justiça mantém proibição a pesquisa com cães na UEM

  1. A pesquisa vai continuar agora na Uepg e Unicentro que ficaram com o dinheiro dessa pesquisa que era da Uem. O dinheiro da pesquisa era do Cnpq e com a desistencia da Uem foi destinado p projeto identico nestas universidades. Estranho que alunos da odonto da uem estejam tao omisso. Povo qdo tem dor de dente arranca e depois usa dentadura. Podia ser diferente, formandos de odonto;

    • dica boa. vamos encaminhar aos promotores dessas cidades a inicial da ação movida aqui, aí, a gente derruba lá e acolá, e assim sucessivamente. a$ pe$qui$a$ em que$tão $ó intere$$avam ao$ autore$. que u$em un$ ao$ outro$ como cobaia$. com ane$te$sia vencida, $em remédio para dor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>