Festival Afro-Brasileiro

Aproveitando a deixa de que agora o Dia de Zumbi e da Consciência Negra é data nacional (o feriado, adotado em mais de 300 municípios, não é obrigatório): este ano a administração cidadã de Maringá parece mesmo que não vai cumprir a lei 8.316, que instituiu o Festival Afro-Brasileiro no calendário de eventos culturais da cidade e que prevê crédito de R$ 40 mil para a festa, com ampla divulgação . Pode sobrar ação civil pública por não cumprimento da lei, criada há dois anos apenas para colocar um doce na boca do movimento que defendia o feriado e que ficou frustrado quando a Turma do Amém voltou atrás.

PS – Mais de duas horas depois desta postagem saiu a primeira notícia do evento deste ano no site da prefeitura.

Angelo Rigon

Jornalista em Maringá. Começou em jornal aos 14 anos, foi editor-chefe dos três jornais diários de Maringá. Pioneiro em blog político, repórter e apresentador de programa de televisão, apresentador de programa político nas rádios Jornal, Difusora e Banda 1, comentarista das rádios Metropolitana e Guairacá, editor de diversos jornais e revistas, como Umuarama Ilustrado, Correio da Cidade, Expresso Paraná, Maringá M9 e Página 9. Atualmente integra o cast da Jovem Pan Maringá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>