O carnaval e o desprezo à vida

EM artigo publicado em jornais de Goiânia e de Salvador, César Augusto Machado de Souza, da Igreja Apostólica Fonte de Vida, cita os assassinatos na região de Maringá para criticar o carnaval. Um trecho:

– A folia é o grito de uma ditadura de morte, que é coroada nesses quatro dias, mas que vem perpetuando seus domínios além do feriado. Cultuar o carnaval, como o Brasil tem feito, é curvar-se à prostituição, ao crime, às práticas mais insalubres e que ferem o espírito humano. O êxtase não tem durado o feriado todo, assim como a tristeza que decorre dos excessos não se expia em meio período da quarta-feira seguinte. Na íntegra.

Angelo Rigon


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>