Xiboca

Continuando a peregrinação pelos botecos “pés sujos”, lembro a xiboca, ou xiboquinha para os íntimos. Tradicionalmente  ela é composta de guaraná, mel, pinga e canela, mas em Maringá, segundo informações do botequeiro Edivaldo Magro, há uma versão diferente, composta de cachaça, açúcar cristal e limão rosa. O coquetel foi criado pelo próprio numa noite de grande inspiração etílica.

Ivana Veraldo

Angelo Rigon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>