O Caso Urbamar

Estamos acompanhando o processo 592603-6 do TJ- PR. Trata-se de uma apelação cível em que a Urbamar teve sentença favorável em primeira instância e no entanto,embora tendo advogado próprio contratou um escritório de advocacia em Curitiba, depois de ter apresentado, depois do processo estar preparado para julgamento do recurso, pagando , antecipadamente 1,7% do valor atualizado da cobraça, mais 2,3% em caso de manutenção da sentença,  e 2,3% caso seja preciso recorrer ao STJ.  Um absurdo que parece estar sendo desfeito, pois no dia 1º/2/2010, houve um substabelecimento para o advogado Luiz Turchiari Junior, que é advogado da Urbamar. Salvo engano. Mas vamos acompanhar. Dependendo do valor da cobrança, este é um escandâlo comparável ao caso do Acervo da TV Cultura. Pedimos aos senhores advogados, entendindos que nos ajudem e a Urbamar e Prefeitura que esclareçam se estamos enganados.
 
Akino Maringá, colaborador

Angelo Rigon


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>