Saúde pública

Quando assumiu a prefeitura, Silvio Barros II invocou com as reclamações de que os médicos dos postos de saúde não cumpriam o horário, apenas seguiam uma espécie de cotas de atendimento. No resto do tempo, como dizem no popular, enrolavam. Fez que fez e hoje a situação na área de controle de horário de trabalho piorou: hoje o pessoal não passa mais o cartão, coisa que faziam no primeiro mandato. Além disso, conta um profissional da saúde, como o salário oferecido aos médicos não é atrativo nem para recém-formado, alguns optam pelo Programa Saúde da Família, que paga mais. Mas não é raro acontecer de, ao invés de ir à casa dos pacientes, o médico errar e acabar no consultório. O assunto, claro, é tabu.

Angelo Rigon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>