O paradigma dos sofás abandonados

O Rigon fica muito incomodado com a falta de consciência ecológica dos moradores de Maringá que, no anseio de se desfazerem dos sofás, os depositam nos lugares mais inusitados. O caso dos sofás rejeitados é paradigmático. Segundo matéria publicada n´ O Diário on line (08/01/10) a média é de um sofá jogado fora a cada seis horas. A equipe de limpeza da Prefeitura recolhe cerca de 120 sofás por mês. O produto quase sempre é comprado num magazine dividido em várias prestações e, como é típico na sociedade de consumo, o sofá é de qualidade duvidosa (descartável) e estraga antes do último pagamento. A aquisição geralmente é realizada com o décimo terceiro e, por esse motivo, em dezembro e janeiro aumenta o número de sofás abandonados. Em Maringá, a Prefeitura tem orientado que o despejo dos móveis seja feito na Pedreira, mas isso não está ocorrendo. Além da falta de consciência ecológica da população, obviamente faltam ações públicas que efetivamente solucionem esse tipo de problema.

Ivana Veraldo

Angelo Rigon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode usar estas HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>