Qual o melhor modelo de currículo para vagas no exterior?

Por: - 21/12/2018
vagas no exterior

Concorrer a vagas no exterior é uma tarefa que exige dedicação e planejamento do candidato, já que é necessário se adequar às características do país desejado para atrair a atenção dos recrutadores para, assim, criar a oportunidade tão desejada por muitos.

Para isso, é preciso utilizar um modelo de currículo capaz de se destacar entre tantos documentos disponíveis.

Neste artigo vamos trazer diversas dicas para montar o modelo de currículo ideal para conquistar a tão desejada vaga fora do Brasil. Leia até o final, faça anotações e boa sorte!

Seja objetivo e claro nas informações

Essa regra vale para quase todos os casos, afinal, nenhum recrutador gosta de ficar interpretando qualificações e outras informações sobre as dezenas de candidatos que precisa avaliar. Sendo assim, um bom modelo de currículo internacional precisa ser objetivo e assertivo nas informações disponibilizadas.

Adapte seu modelo de currículo para cada país

Não tem jeito: cada país terá uma característica a ser valorizada em seu currículo. Nos Estados Unidos, por exemplo, dá-se muito valor para recomendações de outras pessoas que tiveram contato profissional direto com você, já que esse tipo de situação, na cultura americana, é vista como sincera e extremamente confiável.

É claro que uma recomendação pode ser “maquiada” por quem te recomenda. Mas lembre-se: não vale a pena começar um novo relacionamento profissional com uma mentira, principalmente quando se almeja uma oportunidade em outros países. Portanto, procure aquele colega de trabalho que pode falar de você profundamente e de maneira muito sincera.

Outro ponto é a forma de escrever. Nos EUA é bem comum falar das coisas que realizou, criou ou desenvolveu, sempre evitando o uso da voz passiva. Lembre-se que é a sua avaliação profissional que está em jogo, então não tenha medo de se posicionar em relação às suas qualidades.

LEIA TAMBÉM  Não fuja do risco: saiba como ter maiores retornos

Há, ainda, uma outra situação, nos países europeus, onde a formação acadêmica é muito valorizada. Por isso, não esqueça de deixá-la em destaque para modelos de currículos destinados à Europa, mesmo que você não tenha se formado naquela faculdade dos sonhos.

Atente-se ao que é exigido no documento

Em alguns processos seletivos, os recrutadores e empresas solicitam pontos específicos para recrutar. Isso pode envolver foto, uma carta de recomendação, exame de fluência do idioma e algum certificado técnico específico. Se esse for o caso, não hesite em atender as exigências impostas por quem irá te avaliar, já que elas serão decisivas na escolha.

Inclusive o modelo de currículo pode ser específico, como é o caso do Europass, que é um documento requisitado, em alguns casos, para países da Europa. Mas lembre-se: só coloque informações extras se for um requisito para a vaga que estiver concorrendo, caso contrário, siga os padrões do mercado do país de destino.

Seja verdadeiro com o domínio do idioma

Não adianta tentar enrolar o recrutador: se você não domina o idioma padrão da empresa, não tente “forçar a barra” para participar da seleção.

Algumas empresas são bem flexíveis neste requisito, aceitando candidatos estrangeiros que não dominem o idioma, já que com algum estudo é possível atingir um bom nível de comunicação em pouco tempo. Mas esse tipo de atitude depende da empresa que está contratando, então é importante fazer a sua parte e deixar bem claro como está sua habilidade de comunicação no idioma do país desejado.

É claro que existem histórias de brasileiros que enrolaram o recrutador e conseguiram conquistar a vaga, mesmo sem um domínio da língua estrangeira. Mas, é importante enfatizar que esses são casos isolados e, além do tempo perdido pelo recrutador, pode gerar um grande desconforto no dia a dia.

LEIA TAMBÉM  5 problemas de casais e como solucioná-los

Lembre-se que um comportamento ruim pode gerar efeitos negativos em outras contratações, então seja responsável e se prepare de verdade para o processo seletivo.

Evite tradução automática do currículo

Essa dica será dada por qualquer recrutador e tem relação direta com o tópico anterior. Assim como recomendamos a sinceridade com o domínio do idioma da empresa estrangeira, o mesmo vale para seu currículo, que deve ser confecionado da mesma forma: natural e com amplo domínio da língua estrangeira.

Apesar dos tradutores atuais serem excelentes, hoje em dia, alguma falha de tradução costuma acontecer e isso pode te eliminar completamente do processo seletivo. Pior: uma empresa pode se recusar a te avaliar mesmo em uma segunda oportunidade, situação que é bem ruim.

Na dúvida, procure informações

Para finalizar, uma boa dica é entrar em contato com outras pessoas que trabalham na empresa que você almeja ou, ainda, com nativos do país sobre as boas práticas na hora de criar seu currículo.

Pessoas que passaram por situações específicas podem te dar o “caminho das pedras” e, na maioria dos casos, estão superacessíveis para responder dúvidas e esclarecer questões pontuais. Fazendo isso, você também pode desenvolver uma amizade e um networking importante para o futuro. Então, não tenha medo de perguntar, sempre com educação, por uma boa dica para ser o escolhido pelo recrutador estrangeiro.

De resto, tenha bom senso, se prepare muito bem para a vaga, crie o modelo de currículo perfeito para o local que você deseja se desenvolver profissionalmente e boa sorte!

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.