Livros para quem tem 20 e poucos anos (ou quem passou dos 20 e não leu) – Parte 1

Nossos amigos do Buzzfeed.com publicaram essa, nós achamos bem bacana e resolvemos repostar.Vamos falar de livros.

Em outro post, falamos sobre a leitura dos jovens hoje em dia, mas vale reforçar que é muito bom para o nosso desenvolvimento de todos. Então confere essa lista.

Ah, tem livros novos, recém-lançados e outros antigos.

Muita gente vai se identificar com esses primeiros da lista e vai dizer: “Nossa, é muito eu”.

  1. “As vantagens de ser invisível”, de Stephen Chbosky.

Se você é ou foi jovem vai se identificar com os pensamentos de Charlie, o personagem principal desta história. É excelente para pensar no seu momento atual ou lembrar do passado. Mais “nossa, muito eu”, impossível.

  1. “Alta fidelidade”, de Nick Hornby

Esta é a história do dono de uma loja de discos viciado em transformar tudo em listas. Sim, tudo em listas, igualzinho eu e você. Imperdível para todos os apaixonados pela cultura pop.

  1. “Os 13 porquês”, de Jay Asher

O livro conta a história dos 13 motivos que levaram a jovem Hannah Baker ao suicídio. Em meio a essa trágica história, o leitor toma uma surra de realidade sobre a vida e os possíveis problemas do jovem millenial. Tanta gente lê e pensa “nossa, muito eu” que o livro vendeu milhões de cópias e inspirou uma série da Netflix.

  1. “Feliz ano velho”, de Marcelo Rubens Paiva

Com 20 e poucos anos, Marcelo Rubens Paiva subiu em uma pedra e resolveu mergulhar em uma lagoa. O que aconteceu: o pulo deu errado e ele perdeu os movimentos do corpo. Enquanto você acompanha todas as mudanças na vida dele em pleno anos 1980, lê um dos retratos mais fiéis de como pode ser a vida de um jovem.

  1. “Morangos mofados”, de Caio Fernando Abreu

Sabe o Caio Fernando Abreu das frases das redes sociais? Então, essa é sua obra mais famosa. Duvido que você vai ler sem se identificar com pelo menos um dos nove contos. Eles são divididos em duas partes: “mofo” e “morangos”. “Mofo” é a parte triste, melancólica e difícil dos contos. “Morangos” é mais simples, mas com uma crise existencial não menos complicada ou interessante.

  1. “Bonsai”, de Alejandro Zambra

Esta é a história de um casal. E de muito amor, muita dor e muita literatura. O livro começa contando como ele termina: “No final, ela morre e ele fica sozinho”. Sim, é assim mesmo, começa com spoiler. Um livro para entender que o importante pode ser o meio de um romance, não o começo, nem o fim.

Agora vamos a livros que você vai rir bastante enquanto ler.

  1. “Comédias para se ler na escola”, de Luís Fernando Veríssimo

Luís Fernando Veríssimo escreve tão bem que parece até ser fácil. Sorte a sua, que pode ler e rir gostoso destas crônicas sobre uma das fases mais divertidas de nossa vida: a escola.

  1. “O guia do mochileiro das galáxias”, de Douglas Adams

Arthur Dent estava de boas vivendo sua vida quando, de repente, a casa dele e o planeta Terra inteiro são destruídos e ele é obrigado a lidar com todo o resto do universo. Isso incluindo um monte de gente absolutamente doida, seres estranhos e viagens por planetas jamais imaginados. O leitor viaja de graça e se diverte a valer. Este é um clássico do universo nerd e apenas o primeiro livro de uma sequência com mais quatro obras: “O Restaurante no Fim do Universo”, “A Vida, o Universo e Tudo Mais”, “Até mais, e Obrigado pelos Peixes!” e “Praticamente Inofensiva”.

  1. “Toda Rebordosa”, de Angeli

Esta belíssima coletânea concentra todas as tirinhas da louca Rebordosa, seu humor infortúnio e vontade de viver bêbada pelos lugares mais sórdidos de São Paulo. Ótima pedida para os fãs do cartunista Angeli e para quem está a fim de conhecer sua obra.

  1. “O alto da compadecida”, de Ariano Suassuna

Você já viu o filme, já viu a série da Globo e mesmo assim merece ler este livro incrível de Ariano Suassuna. É pra enxergar Chicó, João Grilo, o Padeiro, a Mulher do Padeiro, o Cangaceiro, a Compadecida e todos aqueles personagens inesquecíveis com outros olhos. E, principalmente, rir tudo de novo.

  1. “Fim”, de Fernanda Torres

Estamos acostumados a ver a atriz Fernanda Torres no teatro, no cinemas e na TV com seus personagens femininos, mas aqui ela dá voz a cinco homens. Um junkie, um rato de praia, um marido fiel, um rabugento que vive indo a médicos e o galã da turma. Em comum eles têm o Rio de Janeiro, a morte e o bom humor.

 

Compartilhe