Ele morreu num acidente e usou o celular 12 horas depois

Um terrível acidente de trem ocorreu em 12 de setembro de 2008 no Vale de San Fernando na Califórnia. Um trem da Metrolink que transportava 225 passageiros colidiu com um trem de cargas da Union Pacific. No que ficou conhecido como o choque da Chatsworth, 135 pessoas ficaram feridas. Dos feridos, 87 pessoas foram internadas e 25 morreram. Laudos apontaram que o piloto do Metrolink estava mandando mensagens de texto no momento do acidente e não percebeu um sinal vermelho a sua frente, fazendo com que esse trem fosse considerado culpado no trágico acidente. A última mensagem do piloto foi 22 segundos antes da colisão.

telefonema

Uma das mortes no trem da Metrolink foi a de Charles Peck, de 49 anos, representante do atendimento ao consumidor da Delta Airlines, de Salt Lake City. Peck estava em Los Angeles para uma entrevista de trabalho no aeroporto de Van Nuys. Ele e sua noiva, Andrea Katz, deram uma pausa no casamento até que Peck pudesse se mudar para Los Angeles, onde Katz morava. Seria o segundo casamento de Charles Peck. Seu primeiro casamento lhe deu três filhos.

As notícias do acidente mortal se espalharam quando Andrea Katz estava a caminho da estação de trem para buscar seu noivo. Quando os pais e os irmãos de Peck ouviram falar do acidente, eles se juntaram à Katz para ter ciência do que se tornaria uma péssima notícia.

Peck morreu no impacto. No entanto, seu corpo não foi encontrado por mais de 12 horas depois do acidente. Durante essas horas, o telefone celular da Peck fez uma série de chamadas para sua noiva e membros da família. Trinta e cinco chamadas ao todo foram feitas do telefone de Peck aos membros de sua família, todos os quais consistiam em alguns minutos de silêncio antes da desconexão. À medida que as chamadas continuavam, as autoridades usavam o sinal do celular de Peck para localizar seu corpo, o que eventualmente aconteceu uma hora após a última chamada. O telefone de Peck nunca foi encontrado.

Compartilhe