Mais 5 criaturas lendárias para você conhecer melhor – parte 2

Por: - 28/01/2017
Criaturas lendárias

Criaturas lendárias é um dos assuntos que mais faz sucesso entre os leitores do nosso site. O motivo? Muitos provavelmente estão buscando mais detalhes a respeito de determinado monstro ou animal misterioso do qual ouviram falar por aí. É por isso que estamos revivendo aos poucos cada uma das criaturas lendárias que vocês podem ter conhecido por aqui.

Preparados para relembrar – ou conhecer – mais 5 criaturas lendárias e assustadoras?

1. A Besta do Bray Road

Criaturas lendárias

A Besta do Bray Road é uma criatura criptozoologica vista pela primeira vez na década de 1980 em uma estrada rural fora do Elkhorn, Wisconsin. O mesmo rótulo foi aplicado a uma criatura avistada ao sul de Wisconsin e no norte de Illinois.

Bray Road em si é uma estrada calma, perto da comunidade de Elkhorn. A onda de avistamentos ocorridas no final de 1980 e no início de 1990 levou um jornal local, do condado de Walworth Week, a atribuir a reportagem a jornalista Linda Godfrey -se a cobrir a história. Godfrey era inicialmente cética, mas depois tornou-se convencida da sinceridade das testemunhas. Sua série de artigos mais tarde se tornaram um livro intitulado The Beast de Bray Road: Wisconsin Werewolf Trailing.

Descrição

A maioria das descrições e relatos de testemunhas oculares são catalogadas no livro Godfrey. A Besta de Bray Road é descrita por testemunhas de várias maneiras: como um urso, como criatura, como um bípede peludo lembrando Bigfoot, hora com 4 metros de altura, hora com 3 metros, inteligente, pesando em torno de 250 e 300 kg.

Apesar de a Besta de Bray Road ter evidencias da transformação de um ser humano em lobo, ele foi rotulado como um lobisomem pela imprensa.

Declarações

Uma série de teorias baseadas em animais têm sido propostas. Eles incluem que a criatura é uma mistura de cão selvagem, um waheela (que dizem ser um lobo gigante pré-histórico semelhante ao Amarok).

Também é possível que hoaxes e histeria em massa causaram certos relatos falsos e avistamentos “imaginários” da criatura e por isso tenha ocorrido essa distorção na descrição. Concomitantemente com as aparições em Wisconsin, houve uma onda de encontros semelhantes no vizinho estado do Michigan.

Após o lançamento de “The Legend”, uma canção popular sobre o Dogman Michigan , em 1987, o autor Steve Cook recebeu dezenas de relatórios, incluindo fotografia e provas em filme da criatura. Não há nenhuma ligação conhecida entre os avistamentos em estados vizinhos, além da semelhança da criatura descrita.

A cultura popular

A Besta de Bray Road apareceu no programa de televisão Mystery Hunters , bem como diversos livros e um filme. Artigos sobre ela apareceram no Weekly World News. Os avistamentos gerou em 2005 um filme dirigido por Scott Leigh intitulado The Beast de Bray Road.

The History Channel’s TV, na série MonsterQuest lançou uma investigação sobre a besta, em que todas as testemunhas foram submetidos a testes do detector de mentira. O polígrafo administrador não conseguiu encontrar qualquer indício de que as testemunhas tinham fabricado as suas histórias.

2. A besta de Busco

Criaturas lendárias

A besta de Busco, assim como muitas outras criaturas estranhas que a ciência não desvendou sua verdadeira espécie e classificação dentro do reino animal, são típicas criaturas que rondam certo lugar e assustam os moradores e seus animais. Na forma física dessa criatura encontra-se uma mistura de humano com rosto de tartaruga, em tamanho maior do que as demais criaturas já registradas em todo o mundo nos últimos anos.

A besta também se enquadra no perfil dos animais que tem metade do corpo humano com a mistura de algum animal, e sempre estão sendo estudados com mais intensidade pelos pesquisadores. Há relatos de que a besta de Busco seria até mesmo um monstro carnívoro, que atacava pessoas em locais mais isolados e durante a noite, quando de fato se mostrava pronta para os ataques.

Embora as informações dessa criatura sejam raras mesmo na Internet, o consenso dos estudiosos é que ela é uma anomalia da natureza: segundo as descrições do avistamentos, quando ela não é um humano com cabeça de tartaruga (tartarugas ninjas?), ela é uma tartaruga gigantesca, do tamanho de uma pequena montanha, que pisa na terra depois de longos períodos no fundo do mar. Cienficamente falando, é muito mais provável a existência de uma tartaruga gigantesca do que uma tartaruga com corpo humano, convenhamos.

3. Besta de Gévaudan

Criaturas lendárias

A Besta de Gévaudan (em francês Bête du Gévaudan) foi um animal feroz que aterrorizou a região francesa de Gévaudan no final do século XVIII. Do ponto de vista histórico, o animal é comprovado, tendo sido documentados os ataques, os corpos das vítimas, os sobreviventes descreveram o animal que os atacou, havendo registros de que o animal foi caçado, morto e teve seu corpo exibido na corte de Luís XV.

Segundo as descrições, sua pele tinha um tom avermelhado, e foi dito emitir um odor insuportável. Eles matavam suas vítimas rasgando suas gargantas com os dentes. O número de vítimas varia de acordo com fonte. De Beaufort (1987) estimou 210 ataques, resultando em 113 mortes e 49 feridos, 98 das vítimas mortas foram parcialmente comidos.

Gévaudan, zona que pertence a Languedoc (sul da França), foi desde sempre uma zona onde os ataques de lobos aos rebanhos eram frequentes. Porém, em 30 de junho de 1764 e pela primeira vez, uma jovem de 14 anos (Jeanne Boulet) é assassinada perto de Langogne, uma povoação pertencente ao departamento francês de Lozère. E depois dessa primeira vítima seguiram outras, tratando-se sempre de jovens (curiosamente, nenhum dos homens mortos passava dos dezesseis anos) e mulheres, cujos corpos se encontravam mutilados com uma violência desconhecida até então, decapitadas ou estripadas. Logo segue uma extensa lista de ataques.

Primeiras buscas

Foram feitas na região numerosas investidas para caçar o animal, organizadas muitas vezes por nobres da zona, como o Marquês de Apcher ou o Conde de Morangias, mas sempre sem resultado. As notícias dos ataques da “besta” acaba chegando até a Corte, em Paris, e o rei Luís XV vê-se obrigado a responder de algum jeito às demandas cada vez mais insistentes dos camponeses, apesar de estar totalmente imerso na guerra pelas colônias da América contra a Inglaterra, pelo que decide oferecer seis mil libras de recompensa a quem matasse a besta.

Em 21 de setembro de 1765, foi abatido um grande animal que foi identificado como a “Besta”, por Antoine de Beauterne. Este animal pesava 64 quilos, tinha 87 centímetros de altura e 183 centímetros de comprimento total. O lobo foi chamado de Le Loup de Chazes. Antoine oficialmente declarou: “Nós declaramos pelo presente relatório, assinado por nossas mãos, que nunca vimos um lobo tão grande que poderia ser comparado a este, é por isso que nós estimamos esta poderia ser a besta temível que causou tanto dano.” O animal foi empalhado e enviado para Versalhes, onde Antoine foi recebido como um herói, recebendo uma grande soma de dinheiro, bem como títulos e prêmios. Entretanto, em 2 de dezembro do mesmo ano, foram relatados novos ataques a duas crianças que ficaram gravemente feridas. Dezenas de casos de ataques foram novamente relatados.

A morte de Criaturas lendárias

O assassinato da segunda criatura que, eventualmente, marcou o fim dos ataques é creditado a um caçador local, Jean Chastel, em Sogne d’Auvers em 19 de junho de 1767. Segundo os dados da época, este animal pesava 58 quilos. Ele foi morto com umabala de prata benzida por um padre, sendo este o primeiro registro desse tipo de caçada, depois popularizada nas buscas ao lobisomem. Ao ser aberto, no estômago do animal foi mostrado para conter restos humanos.

4. A Besta de Bodmin Moor

Criaturas lendárias

Gatos não são muito amigáveis. Ao contrário dos cães, eles são individualista, egoístas, interesseiros e acima de tudo, traiçoeiros. Quem teve gato deve saber que eles não são muito de respeitar seus donos. Agora imagine um gato alienígena demoníaco! Essa é a Besta de Bodmin Moor. Segundo a descrição das testemunhas, a besta é gato selvagem é um monstro/alienígena que vaga na Cornualha, no Reino Unido.

Bodmin Moor se tornou um centro de avistamentos. Centenas de relatos ocasionais de animais mutilados ou mortos pela tal Besta foram registrados nos departamentos locais de polícia. Também houve avistamentos semelhante em Hedge End, Southampton, Hampshire.

Alguns especialistas especulam que o animal poderia ser uma espécie de gato selvagem que suspotamente estava extinto na Grã-Bretanha há mais de um século. Mas as opiniões divergem. Ufologos dizem que é um extraterrestre, uma espécie parecida com gatos. Conspirologos, dizem tratar-se de um experimento mal sucedido de genética, especialmente porque a região contém duas bases militares. Psicologos relatam que o caso é reflexo de um “psicose coletiva”. Fruto da imaginação dos habitantes locais devido ao estresse que sofrem frente ao medo que as notícias sobre a criatura geram nas pessoas mais despreparadas.

5. O Verme da Morte da Mongólia

Criaturas lendárias

Vista pela primeira vez em 1926, no deserto de Gobi, Mongólia, a larva tem tamanho variado. Entre 1,5 m de comprimento à 20 m dependendo do relato. Ela é corpulenta e capaz de expelir um ácido que causa morte instantânea ou ainda mata à distância através de descarga elétrica.

Centenas de casos já foram registrados de avistamentos desses invertebrados. Inclusive há o relato de um Primeiro Ministro desse país. Apesar de inúmeras expedições, ninguém nunca conseguiu encontrar uma. Os nativos da região dizem que a criatura vive no deserto há séculos e que pode haver mais de uma. Falam também que estão ativas entre os meses de junho e julho e hibernam durante o resto do ano.

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.