Atletas de Maringá se destacam pelo mundo

Atletas de Maringá

Uma nova geração de atletas nascidos ou radicados em Maringá desponta no mundo esportivo. Seja no atletismo, no handebol, no taekwondo ou até no xadrez, esses maringaenses levam o nosso de nossa terra aos quatro cantos do planeta e colecionam títulos por onde passam.

 Photo by Rafael Henrique Serra (Author), CC BY-SA 4.0

Tabata Vitorino de Carvalho

Tabata nasceu em Maringá em 1996 e se tornou uma velocista. Grande parte de seu sucesso deve-se ao trabalho realizado pelo Centro de Excelência de Atletismo de Maringá, um projeto iniciado em 2010 através de uma parceria entre a Prefeitura do Município e a Associação de Atletismo de Maringá.

Dentre os talentos revelados pelo projeto, destacam-se, além de Tabata, Arthur Langowski Terezan (400 metros com barreiras), Lucas de Araujo Santos (400 metros rasos) e Giovane Cristina Ferrarezzi (salto com vara).

Tabata viveu seu grande momento em 2016, quando terminou a prova dos 400 metros rasos em terceiro lugar no Troféu Brasil de Atletismo e garantiu uma vaga na equipe feminina que disputou os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Nas Olimpíadas, Tabata integrou a equipe do revezamento 4×400 metros rasos e, infelizmente, não se classificou para a final.

Arthur William Pereira

Arthur William é outro maringaense que vem alçando grandes voos. O armador direito de handebol, após cinco anos defendendo a equipe de Maringá, transferiu-se para o Pinheiros/SP, considerado por muitos como o clube mais forte do Brasil.

Só para se ter uma ideia, o Pinheiros conquistou oito das últimas doze edições da Liga Nacional de Handebol! Arthur agora faz parte dessa potência, o que apenas confirma o bom momento vivido pelo handebol paranaense. Vale destacar também a trajetória de superação do atleta, que sofreu uma grave lesão no fêmur direito e levou onze meses para voltar às quadras.

Photo by Bridget Coila (Author), CC Public Domain

Natália Falavigna

A taekwondista Natália Falavigna já tem o seu nome garantido no rol dos maiores atletas maringaenses de todos os tempos. As suas credenciais são lideradas pela histórica medalha de bronze olímpica conquistada em 2008, em Pequim.

Quatro anos antes, nas Olimpíadas de Atenas, o bronze havia escapado após a derrota para a venezuelana Adriana Carmona. Em Pequim, Falavigna teve uma nova chance e garantiu a conquista inédita ao vencer a sueca Karolina Kedzierska. Em 2005, no Campeonato Mundial de Taekowondo, em Madrid, ela terminou na primeira colocação e foi eleita como a melhor atleta brasileira do ano.

Nas Olimpíadas de Londres, em 2012, Falavigna fraturou o tornozelo direito logo em sua primeira luta. Um ano mais tarde, na Áustria, venceu o Aberto de Taekwondo. A partir de então, ela passou a conviver com uma séria de lesões, o que a tirou dos Jogos Olímpicos do Rio em 2016.

Camila Helena Murakami

Camila Murakami é uma judoca multicampeã que ainda nos trará muito mais alegrias. Recentemente, ela entrou para a história ao se tornar a primeira atleta paranaense a participar do Mundial Universitário de Judô, na Coreia do Sul.

Em seu vasto currículo, destacam-se o Campeonato Brasileiro Pré-Juvenil em 2000, o Campeonato Brasileiro Júnior em 2004, o título nos Jogos Abertos do Brasil em 2005 e 2007, o tricampeonato no Campeonato Brasileiro Senior em 2004, 2005 e 2008 e o ouro nas Olimpíadas Universitárias de 2009.

Wender Oliveira

Outro esporte onde tem maringaense, ou melhor, “maringaense” mandando muito bem é o poker. Wender Oliveira nasceu em Goiás, é verdade, mas radicou-se em Maringá em 2004 e representa a nossa cidade em torneios pelo Brasil e pelo mundo.

Wender, que começou no poker em 2010, hoje em dia fatura uma média de R$ 19 mil reais mensais. Isso o permite viver apenas do esporte, onde divide seu tempo entre torneios online e ao vivo. Em 2015, Wender Oliveira chegou à final do BSOP (Brazilian Series of Poker) em Balneário Camboriú. Mais recentemente, Wender sagrou-se campeão do evento Finale, no Uruguai, na primeira edição do LAPC (Latin American Poker Championship), abocanhando um prêmio de R$ 130 mil.

 Photo by Pat Baker (Author), CC BY 2.0

Everaldo Matsuura

Ainda no campo dos esportes mentais, o enxadrista maringaense Everaldo Matsuura é outro grande destaque. Aos 26 anos, ele tornou-se Mestre Internacional de xadrez. Entre suas conquistas, vale destacar o título de campeão paulista em 1998, o bicampeonato paranaense em 2002 e 2003, o bicampeonato brasileiro em 1991 e 2016 e o campeonato panamericano em 1993.

Um detalhe: no seu primeiro título nacional, em 1991, Everaldo tinha apenas 21 anos de idade! Matsuura tem tantas credenciais que chegou a representar o Brasil duas vezes nas Olimpíadas de Xadrez e também obteve uma inédita classificação para a Copa do Mundo em 2007, onde terminou na sexta posição.

Em 2010, Everaldo alcançou o título de Grande Mestre, sendo o décimo-primeiro brasileiro a conquistar esse status. Atualmente, ele figura na décima-sexta colocação no ranking nacional.

 

Compartilhe