A Escolha é sua: Caso Bruno e as desculpas absurdas